sábado, 28 de fevereiro de 2009

A Felicidade


De que é feita a Felicidade?

Qual é a matéria que a compõe?

Existe na tabela periódica alguma coisa que a identifique?

Não, né?

E sabe porque?

Por que ela é feita de momentos, de gestos, de palavras, de pessoas que entram em nossa vida, sem data de partida.

Pode ser um irmão, um amigo, um amor.

Esse então faz a Felicidade brotar imediatamente.

E não precisa ser aquele amor louco, pegajoso, grudento feito chiclete.

O amor calmo, tranquilo, confiante é tão bom que esquecemos do tempo. Esquecemos que existe um mundo lá fora.

Todos nós temos direito ao amor, seja ele de que tipo for.

E basta um sorriso da pessoa amada pra nos sentirmos a pessoa mais rica e importante deste mundo.

O amor traz paz...


28/02/09

Vem.....


quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Me Encante

video
Ousei ousar e coloquei minha voz num poema lindissimo de Pablo Neruda.
Espero que gostem do resultado tanto quanto eu gostei de faze-lo.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Busco um olhar

Busco um olhar que me compreenda,
Um olhar que sorria e que me faça sorrir,
Aquele olhar que veja com o coração
e fale ao meu coração,
Um olhar que me emocione,
que me conquiste...
Busco um olhar que me perturbe,
que me deseje...
Um olhar que em meio a todos,
olhe apenas pra mim,
Um olhar amigo,
um olhar amante,
Um olhar mudo,
que diga tudo que preciso ouvir,
Aquele olhar que refrigere toda ansiedade
e aqueça a alma,
Um olhar que me beije,
que chore comigo...
Busco um olhar que não se desvie do meu,
Que me provoque, que me encare...
Um olhar de amor, de admiração, de respeito,
Tudo começa no olhar,
Olhares se cruzam numa fração de segundo,
E se apaixonam...
Aprisionam-se numa eterna necessidade...
E que prisão maravilhosa!
Busco um olhar que me acomode na masmorra de seu castelo...
Um olhar que me prenda e me encante pra sempre!


( Alda Marques)


Quero apenas cinco coisas..

Primeiro é o amor sem fim.

A segunda é ver o outono.

A terceira é o grave inverno.

Em quarto lugar o verão.

A quinta coisa são teus olhos.

Não quero dormir sem teus olhos.

Não quero ser... sem que me olhes.

Abro mão da primavera

para que continues me olhando.



Pablo Neruda

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Ausência


Vem!
Não te vás agora desta minha vida,
preciso de ti como o poeta triste,
que encontrou de repente a ilusão perdida,
agarra-se a ela pede e insiste:
Fique!
Aqui sem ti é tudo frio,
eu sinto na alma terrível nostalgia
e o mundo inteiro fica tão vazio!
Não te vás embora
desta minha vida agora!
Minha alma implora e não desiste,
fique,
que sem ti serão esfarrapadas
e tristes todas as minhas poesias!
Fique,
que trazes com tua presença
toda emoção que eu tanto necessito!
Fique,
por Deus, eu repito
que durante tua ausência
de dor e de saudade eu não resisto!
Saiba... eu tenho bem guardadas
um punhado de rimas para te ofertar
mas, são palavras tão apaixonadas
que só ao teu ouvido poderei falar!
(Cassandra Rios)

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Save me now

video

Salve me Agora

Estou aqui

Aqui em um lugar

Lugar que nunca estive antes

E completamente sem amor

E com medo que você

Não me deixe entrar

Você veio até a mim

E aí comecei a perceber

Que meus sentidos

Tinham me deixado morrer

Onde estão minhas forças

Quando mais preciso delas

Então, me diga

O que foi que você fez

Fez com minha mente?

Oh, salve-me agora

Da profundidade de minha paixão

Eu poderia me afundar

No mar de amor e de isolamento

Te levarei comigo

Se você simplesmente

Me salvar agora

Todo aquele tempo

Tempo que me entreguei

Eu me entregaria a você

E todo aquele amor

Amor que nunca fiz

Eu faria com você

E nada seria

Mais eletrizante para mim

Do que te dar

Uma prova de todo amor

Que tenho guardado dentro de mim

E na condição que estou

Estou completamente perdido

Então, diga-me

O que foi que você fez

Com meu orgulho?

O, salve-me agora

Da profundidade

De minha paixão

Eu poderia me afogar

Neste mar de amor

E mar de isolamento

Eu levarei você comigo

Se você simplesmente

Me salvar agora

Me salvar agora

Onde estão minhas forças

Quando mais preciso delas

Diga-me, então

O que foi que você fez

Fez com minha mente

Oh, salve-me agora

Das profundezas

Desta minha paixão

Eu poderia me afogar

Neste imenso mar de amor

E mar de solidão

Por favor, salve-me agora

Eu poderia me afogar

Neste mar de amor

E mar de isolamento

E eu te levarei comigo

Se você simplesmente

Me salvar agora

Me salvar agora

Me salvar agora


“Sou o que se chama de pessoa impulsiva.
Como descrever? Acho que assim: vem-me uma idéia ou um sentimento e eu,
em vez de refletir sobre o que me veio, ajo quase que imediatamente.
O resultado tem sido meio a meio:
às vezes acontece que agi sob uma intuição dessas que não falham,
às vezes erro completamente,
o que prova que não se tratava de intuição, mas de simples infantilidade.
Trata-se de saber se devo prosseguir nos meus impulsos.
E até que ponto posso controlá-los.
Deverei continuar a acertar e a errar,
aceitando os resultados resignadamente?
Ou devo lutar e tornar-me uma pessoa mais adulta?
E também tenho medo de tornar-me adulta demais:
eu perderia um dos prazeres do que é um jogo infantil,
do que tantas vezes é uma alegria pura.
Vou pensar no assunto.
E certamente o resultado ainda virá sob a forma de um impulso.
Não sou madura bastante ainda.
Ou nunca serei.”

(Clarice Lispector)

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Você...



Serei teu bem

video

Resolvi me aventurar na realização de um vídeo e acho que não me saí tão mal...mas só vocês é que vão poder dizer a verdade...rsrs

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

O amor é vermelho

Eu amo o amor.
O amor é vermelho.
O ciúme é verde.
Meus olhos são verdes.
Mas são verdes tão escuros que na fotografia saem negros.
Meu segredo é ter os olhos verdes e ninguém saber.
À extremidade de mim estou eu.
Eu, implorante, eu a que necessita,
a que pede, a que chora, a que lamenta.
Mas a que canta.
A que diz palavras.
Palavras ao vento?
Que importa, os ventos as trazem de novo e eu as possuo .
Eu à beira do vento.
O morro dos ventos uivante me chama.
Vou, bruxa que sou.
E transmuto ...

Clarice Lispector

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Ao menos


Um dia uma criança chegou diante de um pensador e perguntou-lhe:
- Que tamanho tem o universo?

Acariciando a cabeça da criança, ele olhou para o infinito e respondeu:
- O universo tem o tamanho do seu mundo.

Perturbada, ela novamente indagou:
- Que tamanho tem meu mundo?

O pensador respondeu:
-Tem o tamanho dos seus sonhos.
- Se seus sonhos são pequenos, sua visão será pequena, suas metas serão limitadas, seus alvos serão diminutos,sua estrada será estreita, sua capacidade de suportar as tormentas será frágil. Os sonhos regam a existência com sentido. Se seus sonhos são frágeis, sua comida não terá sabor, suas primaveras não terão flores, suas manhãs não terão orvalho, sua emoção não terá romances. A presença dos sonhos transforma os miseráveis em reis, faz dos idosos, jovens, e a ausência deles transforma milionários em mendigos faz dos jovens idosos. Os sonhos trazem saúde para a emoção, equipam o frágil para ser autor da sua história, fazem os tímidos terem golpes de ousadia e os derrotados serem construtores de oportunidades.
Sonhe!”



http://www.prahoje.com.br/dj/

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Aceite-me da maneira que venho...




Eu cheguei até você assim,

desse jeitinho que sou;

Por isso não trago manchas,

Sou uma pessoa comum,

entre tantas outras...

Tenho a sensiblidade do amor

e tenho também

todas as dificuldades de um ser humano...

Não tenho a pretensão de ser perfeito

e nem tampouco a prepotência

de querer estar

além do que posso...

Tenho contudo,

a humildade de conhecer meus limites,

e de saber onde posso chegar!!!

Eu sou alguém que vive,

que sonha,

alguém que busca caminhos de realizações,

e de felicidade...

Sou alguém, que sofre, que luta, que chora...

Mas também sou alegria e sorrisos...

É assim que sou,

e como todas as pessoas,

sou único, sou indivisível...

e se você me procurar dentro de mim,

me descobrirá escondidinho na emoção...

e se olhar bem devagarinho,

bem direitinho...

verá que sou todo coração!!!


Maria Celia da Rocha

Gosto dessa imagem...



15/02/09


sábado, 14 de fevereiro de 2009

Se alguém


Se alguém perguntar quem sou,

diga que sou uma amiga

que fala de amor,

que fala do vento,

e se esquece do tempo.

Se alguém perguntar onde vivo,

diga que vivo no coração

daqueles que conhecem o amor...

Se alguém perguntar por onde eu ando,

diga que ando pela noite

e que nela me aqueço...

Se alguém perguntar onde estou

diga que estou,

em cada palavra,

cada lágrima e também no sorriso...

Se alguém perguntar se eu amo,

diga que sou a pessoa

mais apaixonada do mundo...

Se alguém perguntar onde está a minha voz,

diga que minha voz grita em nome daqueles

que não são ouvidos...

Se alguém perguntar meu nome,

diga para

me chamar de “minha amiga”.

..E se alguém perguntar quem eu sou,

diga que sou apenas alguém que ama a vida

e seus amigos...
(A.D)

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Amor Amigo


Há certas horas, em que não precisamos de um Amor...
Não precisamos da paixão desmedida...
Não queremos beijo na boca...
E nem corpos a se encontrar na maciez de uma cama...


Há certas horas, que só queremos a mão no ombro,
o abraço apertado ou mesmo o estar ali, quietinho,
ao lado...
Sem nada dizer...


Há certas horas, quando sentimos que estamos pra chorar,
que desejamos uma presença amiga,
a nos ouvir paciente, a brincar com a gente,
a nos fazer sorrir...


Alguém que ria de nossas piadas sem graça...
Que ache nossas tristezas as maiores do mundo...
Que nos teça elogios sem fim...
E que apesar de todas essas mentiras úteis,
nos seja de uma sinceridade inquestionável


Que nos mande calar a boca ou nos evite um gesto impensado...
Alguém que nos possa dizer:


Acho que você está errado, mas estou do seu lado...

Ou alguém que apenas diga:

Sou seu amor! E estou aqui!



William Shakespeare

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Poema Inacababo

Você fica em minha vida
Como um poema inacabado
Como a Sinfonia
Beleza não finda
Porque soube ser começo
Mas não fim.
Você fica e eu sigo
Ou você segue e eu fico
Sempre desencontrados
Um buscando a estrada
O outro a direção.
E o fogo que arde aqui dentro
Magoa a mulher
Queimando a alma
Matando os desejos
Se apagando aos poucos.
Não acho poesia
Para terminar você!
Ai!... Como isso dói
De não saber
Construir um fim!
De não ficar
Que a metade de mim!
E você fica assim
Como reticências
No fim de um poema.
E eu, desiludida
Sigo a vida
Com esse amargo na boca
Por não saber ter tido
A rima final.
Letícia Thompson

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

DECIFRE-ME

Não sou iludida...
Não estou perdida...
Apenas sigo meu caminho...
Se certo ou errado não sei...
Pois sou livre...Ou será que não...
Decifre-me...
Não fui inventada..
Não tenho medo de amar...
Carrego comigo...A alegria da vida...
Mas também...
Carências...Angustias...Decepções...
Decifre-me...
Sou quem invade tua alma...
Que acelera teu coração...
Que prende tua respiração...
E sabe de tuas vontades...
Decifre-me...
Quando o vento
Tocar em seu rosto...
Sentirás minha presença...
Sentirás um leve perfume no ar...
Mas não se iluda...
Apenas decifre-me...
Se for capaz...